Confira a entrevista com o Dr. Gilson Feitosa Filho – Doenças cardiovasculares e sua relação com a disfunção erétil.

Qual a incidência das principais doenças cardiovasculares no Brasil?

As doenças cardiovasculares são as que mais matam no mundo, especialmente as doenças cerebrovasculares, popularmente conhecidas como derrames, e as doenças coronárias, como no infarto agudo do miocárdio. Para estes, existem fatores de risco modificáveis e não-modificáveis. Nosso empenho, para tentar diminuir a taxa de eventos cardiovasculares na população, deve ser sobre os fatores de risco modificáveis, como tabagismo, sedentarismo, colesterol elevado, obesidade, hipertensão arterial, entre outros.

Qual a relação entre as doenças cardiovasculares e a disfunção erétil (Impotência sexual masculina) ?

As doenças cardiovasculares e a disfunção erétil aumentam em prevalência com a idade e apresentam fatores de risco semelhantes. Isso porque, por vezes, a base da disfunção erétil pode ser manifestação de disfunção endotelial (um prejuízo na função dos vasos), importante mecanismo causador de várias doenças cardiovasculares.

É verdade que a impotência sexual pode ser um dos primeiros sinais preditores de doenças cardiovasculares com infarto agudo do miocárdio? 

Sim, a impotência sexual pode ser um dos sinais preditores de doenças cardiovasculares. Existem estudos mostrando que homens com mesma faixa etária e mesmos fatores de risco clássicos podem ter mais chances de desenvolver futuramente doenças cardiovasculares se apresentam disfunção erétil. Isso pode ser entendido simplesmente como um sinal de que algo na função dos vasos não está bem, e apenas não se manifestou ainda nos leitos vasculares cardíacos.

Como a disfunção erétil pode ser um importante preditor de doença arterial coronariana?

O motivo é por dividir a mesma fisiopatologia: disfunção endotelial. O fato de o endotélio (parte da parede dos vasos) não funcionar bem, pode indicar problemas futuros para qualquer órgão cuja função deles dependam.

Problemas com a deficiência de testosterona também podem ter relação com doenças cardiovasculares?

Tanto a deficiência, mas principalmente o excesso, podem guardar relação com doenças cardiovasculares. Por isso, o diagnóstico e o tratamento, especialmente a reposição, precisam ser realizados diretamente com profissional habilitado e responsável, geralmente o endocrinologista e/ou urologista.

Pacientes coronariopatas que usam ISORDIL e similares, podem tratar a disfunção erétil com medicações intracavernosas (injeções no Pênis)?

Sildenafil e similares não são indicados para pacientes que precisam de tratamento com nitratos (como o Isordil) para sua coronariopatia. Este cuidado deve ser tomado com um diálogo fácil entre o cardiologista e o urologista, na escolha do arsenal terapêutico ideal e seguro para uso ao paciente.

 

Para maiores esclarecimentos, agende sua consulta com um de nossos Urologistas.

Uroclínica da Bahia
Fone: (71) 2626 3030 ou pelo Whatsapp: 71 99184 2858 

 

Dr. Gilson Feitosa Filho

Cardiologista do Hospital Aliança.

Professor da Graduação e da Pós-graduação da Escola Bahiana de Medicina.

Professor das Residências de Cardiologia do Hospital Santa Izabel e do Hospital Ana Nery

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*