Confira a entrevista com o Dr. Frederico Mascarenhas: Cirurgia robótica. O Robô opera sozinho?

A tecnologia é fascinante e encantadora. Nas mais diversas áreas, o avanço tecnológico traz sempre consigo um misto de curiosidade e desejo. Na medicina isto não é diferente. O desenvolvimento técnico permite cada vez mais fazer melhores diagnósticos, com maior precisão, oferecer tratamentos menos invasivos com resultados melhores, menor trauma e proporcionar mais breve retorno dos pacientes à suas atividades diárias.

Uma destas ferramentas, que cada vez mais se populariza é o uso do robô nas cirurgias e com ela diversas dúvidas e incertezas.

O que é o Robô da Vinci?

O robô é um equipamento altamente sofisticado que inclui tecnologia de imagem 3D, tecnologia de controle e estabilização de movimento de instrumentos, que são
integrados e controlados por uma plataforma robótica. O cirurgião controla esses
movimentos e, de forma precisa, transforma em benefício para o seu paciente.

Quer dizer que o Robô não opera sozinho?

Isso mesmo. Diferente do que muitos pensam e que pode confundir a cabeça de muitas pessoas quando se fala em cirurgia robótica é justamente qual seria o papel do médico durante o procedimento. O robô não é autônomo, ou seja, ele não executa qualquer movimento que não seja comandado pelo cirurgião. Logo, o robô depende de um cirurgião treinado para controlar TODOS os seus movimentos desde a câmera até seus diversos instrumentos.

Entendi, mas então qual o papel desse robô na cirurgia? Quais benefícios ele traz?

A câmera bem como os instrumentos são inseridos no abdome através de pequenos
orifícios. O robô tem uma câmera com duas ópticas que, ao ter suas imagens fundidas, permite ao cirurgião uma visão estática, ou seja sem tremor e 3D com riqueza de detalhes. Os instrumentos utilizados, pinças e tesouras, utilizados para manipular, cortar e dar pontos internamente são também controlados sem tremor e são capazes de executar movimentos que mesmo as mãos humanas não são capazes de realizar. O robô oferece ao cirurgião uma grande liberdade de movimento, alcançando locais que seria impossível sem a sua utilização. O resultado disto é uma maior delicadeza na manipulação dos órgãos e estruturas com menor agressão.

Na Urologia, quais a cirurgias que se pode realizar com o robô?

Como o robô é um equipamento que auxilia na cirurgia, qualquer procedimento pode ser realizado com o uso da cirurgia robótica. No entanto, seu uso é mais frequente e traz maiores benefícios nas cirurgias abdominais. Na urologia, as principais cirurgias são a prostatectomia radical (remoção da próstata para tratamento de câncer) e nefrectomia (remoção do rim ou parte dele) para tratamento dos tumores renais.

E para o paciente qual o benefício?

Os principais benefícios decorrem da maior precisão dos instrumentos e da visão 3D e depende de para qual cirurgia esta sendo utilizado. Na prostatectomia radical, o uso do robô da Vinci diminui o sangramento na cirurgia, causa menos dor, diminui o tempo de internação, diminui a taxa de incontinência urinaria e impotência sexual. Nas nefrectomias (retirada do rim ou parte dele) reduz o sangramento, diminui ou tempo de isquemia (tempo que o rim fica sem circulação sanguínea), logo com menor agressão ao órgão e menor perda de função.

Qual o tempo de internação na cirurgia robótica?

O tempo de internação depende da complexidade do procedimento, mas para se ter
uma idéia, nas cirurgias mais comumente realizadas com auxilio do robô,
prostatectomia radical e nefrectomia parcial, que já são bem padronizadas e mais
previsíveis, geralmente o paciente recebe alta após 24 a 36 horas e podem retornar às suas atividades em aproximadamente 1 semana. Esse grande benefício de redução do trauma cirúrgico, pode ser claramente evidenciado já nos primeiros dias após o procedimento. O paciente já se sente bem confortável em realizar grande parte das suas atividades diárias.

Qualquer cirurgião pode ser um cirurgião robótico?

De maneira alguma. Para nós cirurgiões estarmos aptos a realizar a cirurgias robóticas, os hospitais em que estão instalados os robôs, bem como a Intuitive, fabricante do Robô da Vinci criaram um programa rígido de certificação que treina e avalia o cirurgião. Esta certificação passa por aulas online e presenciais, longas horas de treinamento em simuladores (em equipamentos que reproduzem fielmente as cirurgias a serem realizadas) e cirurgias em modelos animais antes de realizar cirurgias em humanos. Além disso, deve-se realizar um número mínimo de cirurgias supervisionadas por um cirurgião sênior antes de ser liberado para operar sozinho. Ou seja, nossa certificação passa por um rígido critério de treinamento e avaliação, que minimizam os riscos de acidentes e maximizam os bons resultados da cirurgia robótica.

Posso concluir que a cirurgia robótica é melhor que a cirurgia convencional?

Vamos colocar da seguinte forma, o robô não transforma um mal cirurgião num bom cirurgião, mas, certamente, torna um bom cirurgião num cirurgião ainda melhor, com melhores resultados. Há aproximadamente 3 anos, acreditando neste conceito, submeti-me a este processo de certificação e tenho oferecido aos pacientes o que tem de mais moderno no tratamento cirúrgico do câncer e outras doenças do aparelhos urinário. Atualmente, eu realizo estas cirurgias em São Paulo nos Hospitais Einstein, Hospital São Luiz, Hospital Nove de Julho e Hospital Sírio Libanês e tenho a convicção de estar oferecendo o que há de melhor e mais moderno na urologia aos meus pacientes.

Para maiores esclarecimentos, agende sua consulta com um de nossos Urologistas.

Uroclínica da Bahia
Fone: (71) 2626 3030 ou pelo Whatsapp: 71 99184 2858

DR. FREDERICO MASCARENHAS. Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia. American Urological Association Member. Chefe do Serviço de Urologia e Residência de Urologia do Hospital São Rafael. Cirurgia Robótica e Laparoscópica. - CRM 14127

DR. FREDERICO MASCARENHAS. 

Chefe do Serviço de Urologia do Hospital São Rafael – BA;

Coordenador da Residência de Urologia do Hospital São Rafael – BA;

Robotic Surgeon (Cirurgião Robótico) – Certificate of Da Vinci Robotic Surgery (since 2015)

Diretor Médico da Uroclínica da Bahia;

Graduado pela Universidade Federal da Bahia;

Preceptor da Residência de Urologia do Hospital Santo Antonio;

Preceptor da Residência de Urologia – Hospital das Clinicas da Universidade de São Paulo (USP) – 2005;

Professor de Urologia – Universidade Federal da Bahia – 2009 a 2011;

Residência Médica em Urologia – Hospital das Clinicas da Universidade de São Paulo (USP);

Residência Médica em Cirurgia Geral – Hospital das Clinicas da Universidade de São Paulo (USP).

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*