Confira a entrevista com o Dr. Nilo Jorge Leão: Robótica no Brasil – Uma tecnologia ao alcance de todos?

Conheça mais sobre a cirurgia robótica realizada pelo robô Da Vinci (Intuitive/Stratner) e onde são feitas as cirurgias aqui no Brasil.

Imagem do robô Da Vinci, utilizado em cirurgia robótica.
Imagem do robô Da Vinci, utilizado em cirurgia robótica.

O Brasil conta hoje com mais de 30 robôs para  realização de cirurgia robótica em atividade em nosso país.  Essas “ferramentas tecnológicas” , conhecidos como Da Vinci (Intuitive/Stratner), foram desenvolvidos para realização de cirurgias complexas, . A maioria dos consoles tipo Da Vinci encontram-se na cidade de São Paulo e Salvador ainda segue aguardando a chegada desse avanço. Cidades como Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Minas Gerais, Barretos, Fortaleza, Belém e Recife, já contam também com o apoio dessa tecnologia que é utilizada principalmente na luta contra o câncer.

Como funciona a cirurgia robótica?

A cirurgia Laparoscópica auxiliada pela tecnologia robótica é a forma mais moderna de abordagem cirúrgica minimamente invasiva, onde o cirurgião fica sentado confortavelmente em um console, há alguns centímetros da maca onde o paciente encontra-se posicionado, controlando a plataforma robótica que encontra-se acoplada ao paciente.

O robô é um aparelho, que pesa pouco mais de 500 Kg, possui 4 braços articulados, com movimentos altamente precisos e que permite magnificação de imagem e visão 3D ao cirurgião que exerce o seu controle, o que facilita muito a identificação de estruturas nobres e otimiza os resultados cirúrgicos.

Literalmente falando, a impressão que dá é que colocamos a cabeça dentro do paciente, enxergando todas as estruturas nobres de maneira precisa, amplificada e tridimensional.

Cirurgia robótica na urologia

A urologia é a especialidade que mais utiliza essa tecnologia no Brasil, principalmente para o tratamento do câncer de próstata, um órgão que fica “escondido” na pelve, num espaço limitado e de difícil acesso. Contudo, o uso do robô vem sendo estendido a cada dia para diversas áreas, como ginecologia, coloproctologia, cirurgia torácica e cirurgia de cabeça e pescoço. Nos Estados Unidos por exemplo, a Ginecologia é a especialidade que lidera o número de cirurgias Robóticas, seguido pela urologia.

Antigamente, quando no período da formação acadêmica, os cirurgiões aprendiam o jargão que “grandes cirurgiões, grandes incisões”. Esse conceito caiu por terra com o avanço da cirurgia minimamente invasiva, onde grandes cirurgias são realizadas através de incisões cada vez menores. Desta forma, a cirurgia robótica permite uma recuperação mais rápida e se associa a menores taxas de sangramento. Além disso, por eliminar o tremor essencial, próprio de todos os seres humanos, ela é uma modalidade cirúrgica mais precisa e prolonga a vida útil dos cirurgiões.

O custo da cirurgia robótica

O principal problema da cirurgia robótica é o elevado custo necessário para adquirir essa tecnologia. O investimento inicial é estimado em 3 milhões de dólares, o que inclui a compra da máquina, o preparo estrutural de uma sala cirúrgica para receber o robô, e o treinamento de alguns profissionais que serão fundamentais para o funcionamento adequado da plataforma robótica.

Cirurgia robótica realizada com o robô Da Vinci
Cirurgia robótica realizada com o robô Da Vinci

Apesar do seu custo de aquisição elevado, por reduzir tempo de internação e otimizar resultados cirúrgicos, a cirurgia Robótica pode também representar redução de gastos significantes. Isso acontece, devido ao menor tempo de internação hospitalar e menor uso de analgésicos no pós operatório. Um dos motivos pelos quais é hoje a modalidade Cirúrgica de escolha para tratamento do câncer de próstata, rim e útero nos Estados Unidos, onde já existem mais de 3 mil plataformas em funcionamento.

Quem está habilitado para operar o robô?

Hoje no Brasil, a empresa responsável pela comercialização do robô Da Vinci – Intuitive/Stratner- exige uma certificação para a prática da cirurgia robótica. É uma espécie de carteira de habilitação para operar a máquina. O cirurgião passa por um período de testes em simuladores e acaba realizando o seu “teste final”em um modelo animal em cidades como Houston (EUA) e Bogotá (COL), quando é avaliado e liberado para operar com auxílio do robô. Existem programas de treinamento cirúrgico conhecidos como fellowships com foco em especialização em cirurgia robótica, a maioria com duração mínima de 1 ano. Contudo, no Brasil ainda existem poucos programas de treinamento formal em cirurgia robótica, sendo o fellowship do Hospital AC Camargo (SP) o único até o momento onde o urologista além de participar de mais de 200 cirurgias robóticas já sai com sua habilitação internacional para a prática da mesma. Isso acaba por tornar a prática dessa modalidade cirúrgica ainda muito restrita a alguns cirurgiões, motivo pelo qual é importante ficar atento se o seu urologista encontra-se habilitado para esta prática.

Cirurgia robótica no Brasil

No Brasil, o primeiro robô Da Vinci chegou em 2008, e desde então, apesar de lentamente, vem conquistando cada vez mais território, ocupando todas as regiões, já que Belém do Pará adquiriu sua primeira plataforma recentemente.

Em Salvador, uma das maiores capitais do país, nenhuma rede hospitalar adquiriu formalmente essa tecnologia, apesar dos inúmeros boatos sobre possíveis compras. Hoje, o paciente soteropolitano ainda precisa viajar para outras cidades para ser operado com o auxílio da tecnologia robótica.  Eu, pessoalmente, acompanho os meus pacientes e realizo minhas cirurgias robóticas em Hospitais de referência em São Paulo, onde fiz boa parte da minha formação médica e urológica. O paciente em geral chega à São Paulo na véspera da cirurgia, fica internado por 24 a 36 horas após o procedimento, sendo liberado para regressar  à Salvador  3 a 4  dias após  o procedimento cirúrgico.  Apesar de ser uma boa alternativa, a viagem feita pelo paciente baiano aumenta os custos do tratamento e desloca o paciente do conforto do seu lar e proximidade dos familiares num momento onde o paciente encontra-se fragilizado, mesmo que por um breve período.

O fato é que já passou da hora de Salvador acompanhar os avanços tecnológicos da medicina internacional. Não faz sentido algum outras cidades do norte e nordeste possuírem a plataforma robótica e Salvador não. Acredito que em breve, teremos novidades por aqui.

Para maiores esclarecimentos, agende sua consulta com um de nossos Urologistas.

Uroclínica da Bahia
Fone: (71) 2626 3030 ou pelo Whatsapp: 71 99184 2858

Dr. Nilo Jorge Leão
Dr. Nilo Jorge Leão

DR. NILO JORGE LEÃO.

  • Coordenador do Núcleo de Uro-Oncologia da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia do Hospital Santo Antônio- Obras Sociais Irmã Dulce;
  • Preceptor do Serviço de Urologia do Hospital São Rafael;
  • Fellowship em Uro-Oncologia, Laparoscopia e Cirurgia Robótica- AC Camargo Cancer Center – SP- SP;
  • Robotic Surgeon (Cirurgião Robótico) – Certificate of Da Vinci Robotic Surgery– Intuitive/Strattner- Bogotá -Colômbia
  • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia;
  • Residência em urologia pela Universidade de São Paulo – USP- RP- SP;
  • Residência em cirurgia geral pela Universidade de São Paulo- USP RP-SP;
  • Observeship in Urology- Jackson Memorial Hospital – University of Miami;
  • International Member of The American Urology Association- AUA- Since 2014;
  • International Member of The European Urology Association- EAU- Since 2015;
  • Urologista do corpo clínico do Hospital Sírio Libanês, Hospital Samaritano, Hospital 9 de Julho e Hospital São Luiz (Rede Dor)- São Paulo- SP. (Credenciado pra realização de cirurgias robóticas).

2 Comentário

  1. Fiz uma prostatectomia robótica com Dr Nilo no hospital Samaritano em São Paulo dia 17/11.Ocorreu tudo bem. Não tive dores e sem incontinência urinária … Dr Nilo é um excelente profissional , sempre a disposição do paciente para tirar todas as dúvidas . Um ser humano enviado por Deus . Quem ainda tem dúvidas sobre a eficiência da cirurgia robótica sou a prova que vale a pena o investimento .

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*