A idade interfere na infertilidade?

Duvidas sobre infertilidade afeta milhões de casais

Sim! É o fator mais importante de todos. A mulher atinge sua capacidade reprodutiva máxima aos 25 anos. A partir dos 30 anos inicia-se um declínio leve na quantidade de óvulos estocados; a partir dos 35 anos, esse declínio é acentuado, de forma que a partir dos 40 anos a chance de gravidez espontânea é menor que 8% ao mês.

Quais são as causas mais comuns?
Idade avançada, endometriose, alterações do espermograma do parceiro, miomas submucosos ou miomas grandes, SOP (síndrome dos ovários policísticos) e obstrução tubária.

Doenças sexualmente transmissíveis podem causar infertilidade?
Sim! Algumas DST’s podem causar DIP (doença inflamatória pélvica) na mulher, levando a aderências e até mesmo obstrução das trompas. No homem, podem levar a inflamação e alterações do espermograma.

Quanto tempo de tentativa é considerado normal antes do casal ser considerado infértil?
1 ano. Mas para iniciarmos investigação, levamos sempre em consideração a idade da mulher: <35 anos: após 1 ano de tentativa
= ou > 35 anos: após 6 meses

Quais exames são feitos pra diagnosticar a infertilidade?
Os exames iniciais são: dosagens hormonais da mulher e do homem, espermograma, histerossalpingografia (para avaliar se as trompas são pérvias) e uma ultrassonografia transvaginal.

Qual o tratamento?
Existem 3 formas de tratamento!

O COITO PROGRAMADO é indicado para os casais onde a mulher não ovula, mas possui trompas pérvias e espermograma normal. Usamos medicações indutoras da ovulação e com o auxílio do US e dosagens hormonais é determinado o dia e hora da ovulação, onde o casal será orientado a ter relação sexual.

A INSEMINAÇÃO INTRAUTERINA é quando induzimos a ovulação e algumas horas antes da ovulação acontecer o sêmen capacitado (após uma seleção) do parceiro é depositado no fundo uterino através de um cateter. É indicado para quem tem trompas pérvias e um espermograma com mais de 5 milhões de espermatozoides progressivos no sêmen capacitado.

E para todas as outras situações que não são possíveis o coito programado ou inseminação, temos a FERTILIZAÇÃO IN VITRO (FIV). Procedimento de alta complexidade, onde após a indução do crescimento de múltiplos folículos ovarianos, os óvulos são aspirados através de uma agulha via vaginal e fertilizados no laboratório com o espermatozoide do parceiro. Serão então formados os embriões e transferidos para o útero em outro momento.

Após todas as tentativas, como lidar com a notícia da impossibilidade de se ter filhos?
Costumo dizer que não há impossibilidade de se ter filhos! Cada casal vai até onde se sente confortável e precisamos acolher e respeitar todas as decisões.
Mas com a evolução da medicina e da tecnologia, temos o banco de óvulos para os casos de falência ovariana e/ou idade avançada da mulher, banco de sêmen para os casos de azoospermia (ausência de espermatozoides no homem), além da possibilidade de útero solidário para aquelas mulheres que tenham agenesia uterina, tenham passado por uma histerectomia ou possuam alguma doença que contra indique a gestação.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*